Bloody Bones & Rolls Von John

Bloody Bones #111

Idade: 31 anos // Ocupação: Assistente de Direção  // Música favorita: Bikini Girls with machine guns, The Cramps // Curiosidade: Sou alérgica a bebidas alcoólicas, não gosto andar de avião, fui escuteira etc.

Faz 3 anos que, sentada na minha garagem, li duas palavras que estavam prestes a mudar a minha vida: Roller Derby!

Um par de meses depois de as ler, as Rocket Dolls surgem em formato de página do Facebook, e com elas o início de um estudo profundo sobre o desporto. Queria saber TUDO!

Acabei então por descobrir que o roller derby  é um desporto diferente de tudo o resto! Aqui os requisitos são outros; aqui, apenas é preciso ter coragem! Coragem para sair de casa à noite, ao frio e à chuva, para treinar;  coragem para deixar a família em casa para treinar; coragem para abdicar de um fim de semana para poder treinar mais; e, não obstante, coragem para estar em pista em dia de jogo!

Do grupo heterogéneo de mulheres com quem partilho a pista, todas elas têm essa coragem, essa determinação, seja no desporto ou na vida.

O roller derby ajudou a construir a minha/nossa personalidade, a melhorar a minha/nossa auto estima e a criar laços e amizades que, não tendo sido este gosto pelo desporto em comum, provavelmente não aconteceriam.

Pratico este desporto por amor, dedico-me a esta equipa de coração.

Roller Derby saved my soul!

FB_IMG_1493114671553

Rolls Von John #999

Idade: 42 anos // Ocupação: Auxiliar de Geriatria // Música favorita: The way I walk, The Cramps // Curiosidade: Fui baterista em bandas de Lisboa como Rolls Rockers, The No-Counts e Escarro Social e mais tarde em Coimbra nos Atentado Cerebral, Punkada, Joane e o Amendoim Saltitante, entre outras.

O Roller Derby entrou na minha vida através da minha namorada Bloody Bones e de imediato reconheci o potencial deste desporto.

Ele envolve, para além da patinagem, uma atmosfera de Rock’ n’ Roll e mulheres poderosas!

Estava perante o projeto da nossa vida e obviamente eu não queria ficar fora!

Claro que esta ideia romantisada foi levada a um extremo sentido de responsabilidade e conquista.

Com a vontade de criar uma equipa de raiz, surgiu a necessidade da criação do clube de praticantes, integração nas finanças e segurança social, conta bancária, seguro desportivo, apoio camarário entre outras grandes e trabalhosas conquistas.

Este desporto não federado estava prestes a levantar vôo em Coimbra!

E que voo!

Na equipa, para além de Vice Presidente, sou também treinador das freshies e, sempre que possível, sou ábitro, posição esta que requer muito estudo e dedicação.

Tem sido um enorme gosto conhecer as Mulheres extraordinárias que têm vindo a fazer parte desta equipa. Sem elas este sonho não seria possível de realizar.

É  a elas que dedico o meu testemunho, assim como àquelas que pensem iniciar esta modalidade.

E para elas fica a dica: independentemente da vossa idade ou  condição física, nunca é tarde nem cedo demais para se juntarem a nós.

O Roller Derby é o desporto inclusivo que procuras!

Long live Roller Derby

Horny Bolt & Evil Scout

Horny Bolt #99

Idade: 17 // Ocupação: Trompista (Horn Player) // Música favorita: 4o andamento da Sinfonia do Novo Mundo de Dvorak // Curiosidade: o meu número é o meu ano de nascimento. Até há pouco tempo eu era a jogadora mais nova da equipa.

O roller derby apareceu na minha vida por acaso. Pratiquei alguns desportos antes, a maioria aquáticos: natação, apneia, hóquei subaquático, polo aquático… Apetecia-me mudar, sair da água e, como gostava de andar de patins, pensei que talvez fosse engraçado ir para o hóquei em patins. Enquanto procurava equipas em Coimbra, surgiu a ideia do roller derby e, por coincidência, pouco tempo depois, apareceu na página web da Escola Secundária José Falcão, escola onde andava na altura, uma notícia da equipa que iria começar a treinar no ginásio da escola e que procurava raparigas de 18 anos. Na altura eu ainda não tinha 15 anos e a minha mãe enviou um email à equipa a perguntar se eu podia experimentar. Responderam-lhe que, com a sua autorização, não havia problema e, no dia 27 de Outubro de 2014, lá fomos.

Passei os primeiros tempos com o Rolls “Von” John como “fresh meat”. Aprendi a patinar como deve ser, mas rapidamente comecei a jogar com a equipa.

Foi amor à primeira vista. Durante estes anos conheci pessoas novas, todas diferentes e todas espectaculares. Adoro este desporto. Adora o jogo e a dinâmica da equipa. Adoro derreter as adversárias e tenho muito orgulho nas minhas nódoas negras.

carlota
Horny Bolt #99

Evil Scout #2000

Idade: 16 anos // Ocupação: Estudante // Música favorita: Boulevard of broken dreams, Green Day // Curiosidade: sou uma escuteira muito sorridente e que ouve muito rock e que é fora do normal e que se sente muito bem enquadrada no roller derby.

Para mim o roller derby neste momento é uma coisa muito importante, mas no inicio, no primeiro treino que eu fui, foi como amor à primeira vista. O roller derby apareceu na minha vida mesmo na altura perfeita. Eu andava à procura de um desporto e encontrei o roller derby em Coimbra.

Eu agora já só penso em ir aos treinos, faz-me mesmo falta quando não vou.

Para mim o roller derby já é mesmo uma espécie de família, onde eu fiz muitos amigos, mesmo sendo toda a gente maia velha que eu, continuo a sentir-me mesmo bem lá. Muitas vezes também só o facto de pensar em ir ao treino me faz sentir bem. Faz-me libertar a minha mente e deixar de pensar nas pressões da escola e nos problemas que tenho fora daquele pavilhão, ou até mesmo só quando estou a conviver com aquelas pessoas fantásticas que partilham o mesmo amor por aquele grande desporto.

Este não é um desporto para toda a gente, é verdade, nem toda a gente – nomeadamente raparigas – gostam de jogar um jogo onde elas se podem aleijar seriamente. Eu sei que é um jogo um tanto peculiar e fascinante a meu ver, algo que só mesmo a jogar é que é possível conhecer e começar a amar…ou não… Quanto aos ferimentos, acho que fazem parte… Eu própria já senti o que é ganhar um derbykiss e nunca pensei em desistir, embora o tempo que fiquei sem poder treinar não foi o melhor, mas faz parte do desporto e eu amo este desporto e tudo o que ele envolve. Eu sei que algumas pessoas não vão entender, mas quando elas encontrarem uma paixão como a que eu tenho pelo roller derby, elas irão entender.

Uma coisa muito boa neste desporto, ou pelo menos na minha equipa, é que qualquer que seja o tipo de rapariga isso não interessa, pode ser baixa ou alta ou gostar de musica clássica ou rock, unidas pelo desporto todas se enquadram e isso é fantástico, eu tenho sorte de que muitas das raparigas com quem jogo têm gostos musicais parecidos com os meus.

Eu ainda sou fresh meat, mas estou ansiosa por poder jogar. Uma coisa muito boa como freshie é termos a oportunidade de ser NSO e assim contactar mais diretamente com o jogo ao invés de ser uma simples expectadora. Acho que isso ajuda bastante a aprender como é o jogo e perceber a intensidade que se sente ao estar em pista.

Falando da minha equipa, eu gosto muito dela e das pessoas que fazem parte dela, elas sabem como integrar as freshies, ajudam-nos bastante e incentivam-nos a não desistir.

Acho que este desporto deveria ter muito mais divulgação porque eu acredito que muita gente gostaria de jogar mas não conhece, e outras pessoas tem ideias erradas e só mesmo experimentando é que isso pode mudar, pois é realmente um desporto maravilhoso que vale a pena jogar.

Eu amo muito o roller derby e amo muito as Rocket Dolls. Tenho de agradecer a toda a gente que me deu esta oportunidade.

Cheers **

evilscout2000
Roller derby makes me happy!